Cristão Luterano
Bem-vindo Visitante!

IMPORTANTE! LEIA!

Faça seu cadastro e tenha liberdade para ler todos os tópicos do fórum Cristão Luterano. Aproveite o cadastro para conhecer e aprender.

_________________________
crscapixaba-admin
ADMINISTRADOR





Leia as CONDIÇÕES E REGRAS do Fórum:


Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Últimos assuntos
» Jeremias 1.4-10
Ter Jan 29, 2013 5:23 pm por crscapixaba-admin

» Lucas 4.14-21
Ter Jan 29, 2013 5:15 pm por crscapixaba-admin

» 1 Coríntios 12.1-11
Ter Jan 29, 2013 5:12 pm por crscapixaba-admin

» Lucas 2.15-21
Ter Jan 29, 2013 4:58 pm por crscapixaba-admin

» Lucas 3.15-17, 21-22
Ter Jan 29, 2013 4:44 pm por crscapixaba-admin

» Sofonias 3.14-20
Sex Dez 14, 2012 9:26 am por crscapixaba-admin

» 1 Tessalonicenses 3.9-13
Qua Nov 28, 2012 9:32 am por crscapixaba-admin

» Marcos 13.1-8
Ter Nov 20, 2012 10:05 am por crscapixaba-admin

» 1 Reis 17.8-16
Sex Nov 09, 2012 4:02 pm por crscapixaba-admin

Tópicos mais ativos

Quem está conectado
1 usuário online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 1 Visitante :: 1 Motor de busca

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 16 em Sab Mar 30, 2013 10:02 am

VIGÍLIA PASCAL: UMA LITURGIA QUE COMEÇA NO ANOITECER DO SÁBADO E TERMINA NA AURORA DO DOMINGO

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

VIGÍLIA PASCAL: UMA LITURGIA QUE COMEÇA NO ANOITECER DO SÁBADO E TERMINA NA AURORA DO DOMINGO

Mensagem por crscapixaba-admin em Qui Mar 08, 2012 4:54 pm





5.3 – VIGÍLIA PASCAL: UMA LITURGIA QUE COMEÇA NO ANOITECER DO SÁBADO E TERMINA NA AURORA DO DOMINGO


Liturgia preparada por Anselmo Lutzke, bacharel em Teologia pela Escola Superior de Teologia da IECLB. Anselmo realizou uma pesquisa sobre o Tríduo Pascal no segundo semestre de 2000. A presente liturgia propõe uma celebração que inicia no Sábado Santo e se estende até o romper da manhã da Páscoa. A liturgia está subdividida em duas partes. A primeira inicia com a fogueira da Vigília e o Fogo Novo e continua dentro da igreja, que ainda apresenta as marcas do desnudamento do altar e da penumbra. A segunda parte celebra a ressurreição do Senhor e une o símbolo da chegada dos primeiros raios do sol com a festa da vitória de Jesus sobre a morte.
Essa subdivisão oferece duas possibilidades para as pessoas: ou elas permanecem na igreja em vigília durante toda a noite, ou vão para suas casas para descansar ao final da primeira parte e retornam ao local antes do romper da manhã.
Os hinos sugeridos pelo autor são do cancioneiro O Povo Canta, do hinário da IECLB - Hinos do Povo de Deus - e do prontuário da IECLB - Celebrações do Povo de Deus.

[A comunidade e o liturgo se encontram, na noite do Sábado Santo, em um lugar fora do templo, ao redor de uma pequena fogueira. Seria interessante se fosse possível providenciar a primeira chama no próprio local, através da fricção de pedras ou algo semelhante. No templo não são acesas lâmpadas. Neste modelo de liturgia, o altar não estará enfeitado na parte da noite, só de manhã, visto que a celebração noturna será realizada na penumbra. Os preparativos do Sábado Santo podem prever a preparação de velas para serem distribuídas a toda a comunidade. Após o fogo ser aceso, o liturgo se aproxima e convida a comunidade para orar].
L – Senhor Deus, através de Teu Filho concedeste a teu povo a claridade da luz. Santifica este fogo novo e concede que nesta festa pascal nossos corações ardam em desejos celestiais. Que com pensamentos puros cheguemos à festividade da luz eterna, por Jesus Cristo, nosso Senhor.
C – Amém.
[O liturgo toma o Círio Pascal e o acende no fogo dizendo:]
L – Que a luz de Cristo, que ressuscita glorioso, disperse as trevas de nossos corações e mentes.
C – Amém.
PROCISSÃO
[O liturgo, então, segue na frente da procissão carregando o Círio erguido e diz:]
L – A luz de Cristo.
C – Demos graças a Deus.
[Se a distância até a porta do templo for grande, pode-se ir cantando alguns hinos. Sugestão: Hinos 39, 42 e 93 do hinário Hinos do Povo de Deus. Ao chegar à porta do templo o liturgo diz novamente:]
L – A luz de Cristo.
C – Demos graças a Deus.
[Neste instante o liturgo oferece o Círio para que as pessoas possam acender suas velas. O fogo vai passando de vela em vela até que todas estejam acesas. As pessoas se dirigem aos seus lugares no templo e o liturgo leva o Círio até o candelabro. Então o liturgo diz mais uma vez:]
L – A luz de Cristo.
C – Demos graças a Deus.
[O liturgo então coloca o Círio no candelabro e a comunidade canta ou recita o Exsultet. Durante o Exsultet são acesas, com o fogo do Círio, velas ou luminárias, estrategicamente colocadas, para que se possam realizar as leituras dos textos bíblicos.]
C – Exulte o céu, e os anjos triunfantes, mensageiros de Deus, desçam cantando: façam soar trombetas fulgurantes, a vitória de um Rei anunciando. Alegre-se também a terra amiga, que em meio a tantas luzes resplandece; e, vendo dissipar-se a treva antiga, ao sol do eterno Rei brilha e se aquece. Que a mãe Igreja alegra-se igualmente, erguendo as velas deste fogo novo, e escute, reboando de repente, o aleluia cantado pelo povo. Pois eis agora a Páscoa, nossa festa, em que o real Cordeiro se imolou: marcando nossas portas, nossas almas, com seu divino sangue nos lavou. Esta é, Senhor a noite em que do Egito retirastes os filhos de Israel, transpondo o Mar Vermelho a pé enxuto, rumo à terra onde correm leite e mel. Ó noite em que a coluna luminosa as trevas do pecado dissipou, e aos que crêem no Cristo em toda a terra em novo povo eleito congregou! Noite que os devolve à graça e os introduz na comunhão dos santos. Eis a noite em que o Cristo, quebrando os vínculos da morte, sai vitorioso do sepulcro. Na graça desta noite, acolhei, Pai santo, como sacrifício de louvor vespertino, a chama que sobe desta coluna de cera que a Igreja por nossas mãos vos oferece. Ó noite de verdadeira felicidade, que une de novo o céu à terra inteira, na qual as pessoas encontram a Deus. Fazei que este círio pascal brilhe quando o astro da manhã brilhar, aquele que não conhece ocaso: o Cristo ressuscitado dos mortos que espalha sobre os homens sua luz e sua paz .
L – A paz e a graça de Deus, de seu Filho Jesus Cristo e do Espírito Santo, sejam convosco.
C – E contigo também.
LITURGIA DA PALAVRA
L – [O liturgo convida a comunidade para que se dê início a liturgia da Palavra. O número de leituras varia de acordo com a opção feita pelos organizadores da vigília. Normalmente, seriam 12 leituras, mas pode-se reduzir para sete ou quatro. No presente modelo, opta-se por sete leituras nesta parte da celebração, que são as leituras do Antigo Testamento. Entre as leituras podem-se cantar Salmos ou hinos, escolhidos para a ocasião.]














[As leituras, Salmos e hinos podem ser programados para durar toda a noite, para que a comunidade fique acordada em vigília. Na presente proposta, propõe-se a interrupção da celebração, para que as pessoas possam descansar um pouco. Isso pode ser realizado no salão da comunidade ou outro local previamente preparado. Na aurora do domingo acontece a parte mais alegre e festiva da Vigília Pascal. Seria uma pena se as pessoas estivessem cansadas, por causa da noite sem dormir, e não pudessem desfrutar alegremente dessa festividade.]
L – [O liturgo faz uma oração pedindo proteção para a noite e despede a comunidade com o convite de retorno na parte da manhã, antes do nascer do sol. As pessoas apagam suas velas, também as outras velas e luminárias são apagadas, permanecendo aceso somente o Círio Pascal].
LITURGIA DA VIGÍLIA PASCAL – MANHÃ
[Na parte da manhã o altar estará todo enfeitado, obra da equipe de liturgia e outros voluntários. Mas ainda só haverá a luz do Círio, que será usada para acender as velas e luminárias. Dependendo da duração da celebração da noite anterior, as pessoas precisarão de novas velas. Deve-se lembrar também que algumas pessoas só virão para a celebração da manhã. Por isso é preciso prevenir-se com muitas velas].
ACOLHIDA
LITURGIA DA PALAVRA
L – [Convida a comunidade para aclamar e ouvir o Evangelho. A manhã começa com a leitura do Evangelho, relatando a ressurreição de Jesus Cristo] .
ACLAMAÇÃO DO EVANGELHO
C – [Canta um Aleluia. Sugestão: Cantam-se duas estrofes do Salmo 118, no Celebrações do povo de Deus, p. 119ss].
LEITURA DO EVANGELHO
L – [Sugestão: Jo 20.1–21.25].
L – Palavra do Senhor!
C – [Cantam-se as outras estrofes do Salmo 118. Ao final da leitura o sol já deve estar nascendo, e, neste instante então, a comunidade “acorda” o mundo, dando a boa nova, cantando com muito mais alegria o Aleluia. Pode também ser um outro hino, que fale especificamente sobre a ressurreição].

[A partir deste ponto inicia-se a liturgia batismal. Quando termina o canto, o liturgo se dirige à comunidade e inicia a liturgia do Batismo, conforme em anexo. Quando, no desenrolar da liturgia batismal, o batizando, ou no caso de crianças o seu representante, receber a sua vela batismal, este dirige-se ao Círio Pascal e a acende. Segue-se a liturgia batismal. Ao seu final, todas as luminárias e velas são apagadas, visto já ser dia. Somente o Círio Pascal fica aceso. Segue, então, a liturgia eucarística, também em anexo, normalmente, até o final, com a liturgia de despedida. Não há, a princípio, um ritual para apagar o Círio Pascal. Este fica aceso até todas as pessoas deixarem o templo. Após o encerramento, tudo que diz respeito à Semana Santa é guardado, com exceção do Círio Pascal. Ele será aceso nos cultos do período pascal, ou seja, em todos os domingos até o de Pentecostes. Depois disso, será aceso em cultos de batismo e outros cultos ligados com o Batismo, como confirmação, primeira comunhão. O Círio Pascal retoma a perspectiva pascal nos Batismos até a próxima Vigília Pascal, quando é aceso um novo círio].



LITURGIA DO BATISMO
L – No Santo Batismo, nosso Pai celestial por graça nos livra do pecado e da morte, ao unirmo-nos à morte e ressurreição de Jesus Cristo. Nascemos filhos e filhas de uma humanidade caída e nas águas do Batismo renascemos como filhos e filhas de Deus e herdeiros da vida eterna. Pela água e pelo Espírito Santo, somos feitos membros da Igreja, ou seja, do corpo de Cristo. Na medida que vivemos com Cristo e seu povo, crescemos na fé, no amor e em obediência à vontade de Deus.
APRESENTAÇÃO
[Todos os batizandos são apresentados por um padrinho, tanto adultos como crianças. L = Liturgo; C = Comunidade; PM = Padrinho ou Madrinha; B = Batizando].
PM – Eu apresento [nome do batizando] para receber o Sacramento do Santo Batismo.
[No caso do Batismo de adultos, L se dirige a cada batizando e pergunta:]
L – [Nome do batizando], desejas ser batizado?
B – Sim, eu desejo.
[Depois se dirige aos pais e padrinhos].
L – Movidos pelo amor cristão, vocês estão apresentando estas pessoas para o Santo Batismo. Vocês devem então cuidar delas fielmente e ajudá-las a fim de que confessem a fé que professamos. Empenhem-se em viver no pacto do Batismo e na comunhão da Igreja até o dia em que Cristo voltar. Vocês prometem cumprir estas obrigações?
PM – Sim, eu prometo.
[No caso do Batismo de crianças, L se dirige somente aos pais e padrinhos e pergunta:]
L – Movidos pelo amor cristão vocês estão apresentando estas crianças para o Santo Batismo. Vocês devem, então, trazê-las fielmente à casa de Deus e ensinar-lhes o Pai-Nosso, o Credo e os Dez Mandamentos. À medida que vão crescendo, devem pôr em suas mãos as Sagradas Escrituras e prover meios para sua instrução na fé cristã a fim de que também elas vivam no pacto do Batismo e na comunhão da Igreja até o dia em que Cristo voltar. Vocês prometem cumprir estas obrigações?
PM – Sim, eu prometo.
HINO
L – Convido a comunidade para cantar o hino 136 do hinário "Hinos do Povo de Deus".
L – Pedimos-te, Senhor, que tornes vivas as palavras de teu Filho Jesus, que, aproximando-se dos discípulos, falou: “Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra. Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até a consumação do século.” Bendito sejas, Senhor Deus do Universo, Criador de céu e terra, pela dádiva da água, com a qual vens sustentando a tua Criação. Lembramos, neste momento, que já na origem do universo teu Espírito pairava por sobre todas as águas para que viessem a gerar vida. Nas águas do Dilúvio, um mundo corrompido foi por ti, então, destruído. Nas águas do Mar Vermelho, afogaste um opressor, conduzindo pelas mesmas teu Povo, a pé enxuto, livre da escravidão. Nas águas do Jordão, pelo batismo de teu Filho, o Verbo encarnado, consagraste todas as águas para nossa salvação. Pelo banho regenerador desta água, cheia de graça, concedes a nova vida a teus servos, a fim de que te sirvam no Povo da nova e eterna aliança que, da escravidão do pecado, por Cristo libertaste. Deus Todo-Poderoso, que vives eternamente, pedimos-te que envies teu Espírito Santo para que nos assista e esteja presente nesta nossa invocação de teu santo nome: Santifica essa fonte batismal, tu que és o Santificador de todas as coisas, para que, pelo poder de tua Palavra, todos aqueles que irão ser batizados nela possam renascer espiritualmente e se tornem filhos da eterna adoção. Amém.
L – Aproximem-se os candidatos ao Batismo [cada um se aproxima por vez].
RENÚNCIA E CONFISSÃO DE FÉ
[No caso de recém nascidos, omitem-se a renúncia e a confissão, que acontecerá no Culto de Confissão de fé.]
L – Nossa vida está cheia de perigos, de sedução e desespero, de injustiça e opressão, que devem ser denunciados e expostos, pois a Cruz já os venceu. Portanto, [nome do batizando] renuncias aos poderes malignos deste mundo e todas as suas obras e opressões?
B – Sim, renuncio.
L – Tu crês no Deus Pai?
B – Creio em Deus Pai Todo-Poderoso, criador do céu e da terra.
L – Tu crês em Jesus Cristo, o Filho de Deus?
B - Creio em Jesus Cristo, Seu filho unigênito, nosso Senhor, o qual foi concebido pelo Espírito Santo, nasceu da Virgem Maria, padeceu sob o poder de Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado, desceu ao mundo dos mortos, no terceiro dia ressuscitou dos mortos, subiu ao céu, e está sentado à direita de Deus Pai, Todo-Poderoso, de onde virá para julgar os vivos e os mortos.
L – Tu crês no Espírito Santo?
B - Creio no Espírito Santo, na santa Igreja cristã – a comunhão dos santos, na remissão dos pecados, na ressurreição do corpo e na vida eterna. Amém.
LAVAGEM
L – [Nome], tu és batizado em nome do Pai †, do Filho †, e do Espírito Santo †. Amém.
HINO
L – Convido a comunidade para cantar o hino 137 do hinário "Hinos do Povo de Deus". [Durante o hino, todos os batizandos posicionam-se diante da Fonte Batismal. No caso de crianças, um padrinho ou uma madrinha as leva.]
IMPOSIÇÃO DAS MÃOS
L – Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, te damos graças por haveres libertado teus filhos do poder do pecado e os haveres ressuscitado para uma nova vida por meio deste Santo Sacramento. Derrama teu Espírito Santo sobre [diz-se o nome e impõe as mãos sobre a cabeça de cada batizando e depois continua-se] o espírito de sabedoria e entendimento, o espírito de conhecimento e temor de Deus, o espírito de gozo na tua presença.
C – Amém.
SINAL DA CRUZ
L – [Faz-se um sinal da cruz geral, sobre todos, diz-se novamente os nomes e], filhos de Deus, vocês foram selados com o Espírito Santo e marcados com a cruz de Cristo para sempre.
C e B – Amém.
LUZ DE CRISTO
L – [Dá uma vela a cada batizando; ou, no caso de crianças, ao padrinho ou à madrinha, e diz] Brilhe de tal maneira a tua luz diante dos outros, para que vejam tuas boas obras e glorifiquem a Deus. Amém.
C - Amém
BOAS-VINDAS
P – Pelo Batismo, Deus nos deu estes novos irmãos, membros do sacerdócio geral, para que louvemos a Deus e levemos sua palavra criadora, redentora e mantenedora a todo o mundo.
C – Damos as boas-vindas à família do Senhor. Recebemo-los como membros do corpo de Cristo. Somos filhos e filhas do mesmo Pai celestial e trabalhadores / trabalhadoras no Reino de Deus. Amém.
CONFISSÃO DE FÉ COMUNITÁRIA
L – Convidamos os que estiverem em condições que se coloquem de pé. Como um só corpo, confessemos a nossa fé, com o Credo Apostólico.
Todos – Creio em Deus Pai, todo-poderoso, Criador do céu e da terra. E em Jesus Cristo, seu Filho unigênito, nosso Senhor, o qual foi concebido pelo Espírito Santo, nasceu da Virgem Maria, padeceu sob o poder de Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado, desceu ao mundo dos mortos, ressuscitou no terceiro dia, subiu aos céus, e está sentado à direita de Deus Pai, todo-poderoso, de onde virá para julgar os vivos e os mortos. Creio no Espírito Santo, na santa Igreja cristã – a comunhão dos santos, na remissão dos pecados, na ressurreição do corpo e na vida eterna. Amém.
ORAÇÃO DE INTERCESSÃO
L – Como toda a cristandade sempre o fez, passemos agora às orações de intercessão [lembrando-se dos batizandos].
(intercessão) ...oremos ao Senhor.
C – Senhor, escuta nossa prece!
L – (Conclusão) ... oremos ao Senhor.
LITURGIA DA EUCARISTIA
CANTO DO OFERTÓRIO
L –Enquanto as ofertas são trazidas ao altar, convido a comunidade a cantar o hino 248 do hinário "Hinos do Povo de Deus".
L – Oremos: Deus criador, benditos sejam este pão e este vinho, frutos da terra e do trabalho humano, os quais são dádivas que tu, em teu amor, nos concedeste. Trazemos-te parte daquilo que recebemos e te pedimos: faze com que este pão se torne pão da vida e que este vinho se torne bebida da salvação para nós. Por Jesus Cristo, nosso Senhor.
C – Amém.
ORAÇÃO EUCARÍSTICA
L – O Senhor, nosso Deus, sempre acompanhe todos vocês.
C – Assim seja com você também.
L – Elevemos o nosso coração e voltemos a nossa mente a Deus em oração.
C – Assim faremos.
L – Demos graças a Deus por tudo que ele nos dá.
C – É digno e justo que em todos os momentos e lugares rendamos graças ao nosso Deus.
L – Senhor, nosso único Deus, é necessário e bom que todos os batizados em teu nome rendam graças, não só agora, mas sempre e em todo lugar. Tu és o Todo-Poderoso, moldaste o ser humano do barro à tua imagem, acompanhaste o povo de Israel e prometeste-lhe o Messias. Então trouxeste o Teu filho ao mundo, o qual curou, pregou e fortaleceu as pessoas em meio a dores; deste-o em favor de todos os nossos pecados e nos incumbiste da tarefa de missionar e batizar. Na última Ceia do Teu filho amado, ele nos deu a Eucaristia, para que recebamos a sua presença no pão e no vinho e não esqueçamos a cruz, sua morte e ressurreição. Por isso, ó Deus, nós Te louvamos, proclamando e cantando a tua glória:
C – “Santo, Santo, Santo", hino 125 do hinário "Hinos do Povo de Deus".
L – O teu santo nome seja louvado. Que teu Espírito criador torne vivas as palavras do Teu filho querido, o qual, na noite em que foi traído, tomou o pão e, tendo dado graças, partiu-o e o deu aos seus discípulos dizendo: Tomai, comei; isto é o meu corpo que é dado por vós; fazei isto em memória de mim. A seguir, depois de cear, tomou também o cálice e, tendo dado graças, deu-o a seus discípulos, dizendo: Bebei dele todos, porque este cálice é a nova aliança no meu sangue, derramado em favor de vós para a remissão dos pecados; fazei isto todas as vezes que o beberdes em memória de mim.
C – Anunciamos, Senhor, a tua morte, proclamamos a tua ressurreição e esperamos o Teu retorno; vem, Senhor Jesus!
L – Deus, celebramos agora o memorial da nossa redenção, lembrando o nascimento e a vida de Jesus entre nós, o seu batismo feito por João, sua última ceia, seus milagres, sua morte e descida ao mundo dos mortos. Proclamamos também a sua ressurreição, seu reencontro com os discípulos, sua ascensão ao céu, onde está sentado à tua direita, e esperamos por seu glorioso retorno. Apresentamos o pão e o vinho, em obediência à ordem do Teu filho; concede a todos e a todas a bênção da tua obra redentora.
L – Senhor, envia o Espírito Santo para que, partilhando o pão da vida e o cálice da salvação, tornemo-nos um só corpo.
C – Santo Espírito, vem sobre nós. Enche-nos com o dom da tua graça.
L – Como reconhecimento e aclamação de que Jesus verdadeiramente está neste pão e neste vinho, cantamos:
C – (canta) Cordeiro de Deus, que tiras o pecado do mundo: tem piedade de nós. Cordeiro de Deus, que tiras o pecado do mundo: dá-nos a paz.
L – Deus, guia-nos até a festa da alegria, que está preparada a todas as pessoas batizadas em tua presença; com os profetas, com os apóstolos, com os mártires e com todos os batizados em teu Santo nome. Assim, esperamos o Teu reino, onde, livres do pecado e da morte, poderemos Te glorificar .
C – Por Cristo, com Cristo e em Cristo, sejam a ti, Pai Todo-Poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda honra e toda glória, agora e para sempre. Amém.
PAI-NOSSO
L – Unidos pelo único Batismo, no mesmo Espírito Santo e no mesmo corpo de Cristo, oremos como filhos e filhas de Deus a oração que o próprio Cristo nos ensinou:
Todos – Pai nosso que [...] e a glória para sempre. Amém.
GESTO DA PAZ
L – Jesus Cristo, tu disseste aos teus apóstolos: "Deixo-vos a paz, minha paz vos dou". Não olhes para os nossos pecados, mas para a fé da tua Igreja. Para que se cumpra tua vontade, concede-nos sempre essa paz e guia-nos em direção à perfeita unidade.
C – Amém.
L – A paz do Senhor seja sempre convosco.
C – E contigo também.
L – Demos uns aos outros o sinal de reconciliação e de paz. [Cada pessoa é convidada a saudar os que estão ao seu redor, dizendo, por exemplo: Paz seja contigo!].
FRAÇÃO
L – O pão que partimos é a comunhão do corpo de Cristo. O cálice da bênção, pelo qual rendemos graças, é a comunhão do sangue de Cristo.
C – Nós, embora muitos, somos um só corpo.
COMUNHÃO
L – Eis que tudo está preparado, portanto, vinde alegremente à mesa do Senhor.
ORAÇÃO PÓS COMUNHÃO
L - Senhor Deus, somos gratos a ti por tudo que nos dás: pela terra e pelo mar, pelos campos, pelo alimento, pelos pássaros, pelo vinho e pelo pão, por toda a tua perfeita criação. Concede-nos a vida e o bom discernimento, para que possamos desfrutar dessa imensidão que criaste. Dá que sempre haja pessoas preocupadas com as dores dos irmãos e das irmãs e dá-nos forças para que possamos viver diariamente o Batismo que nos concedeste e perder o medo da morte e suas conseqüências. Há pouco provamos a antecipação do banquete que tu preparas no mundo vindouro. Dá que um dia possamos participar, todos juntos, na herança dos santos, na luz de tua cidade celestial, por Jesus Cristo, teu Filho, nosso Senhor, que contigo vive e reina, na unidade do Espírito Santo, um só Deus, pelos séculos dos séculos. Amém.
C – Amém.
L – [Convida a comunidade a voltar a seus lugares].
AVISOS COMUNITÁRIOS
L – Abrimos, agora, espaço para os avisos.

LITURGIA DE DESPEDIDA
BÊNÇÃO E ENVIO
L – Neste momento queremos nos despedir deste encontro com Deus, recebendo a bênção e sendo enviados para o testemunho e ação do Evangelho.
Que a bênção de Deus, o Pai, o Filho e o Espírito Santo sejam convosco e permaneçam convosco para sempre.
C – Amém.
L – Na unidade do Espírito Santo, ide em paz e servi ao Senhor.
C – Demos graças a Deus.
HINO FINAL
L – Convido a comunidade para cantar o hino 178 do hinário "Hinos do Povo de Deus”.

_________________
crscapixaba-admin
_______________________________________
Administrador do forúm cristao-lutereno
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
avatar
crscapixaba-admin
Admin

Masculino Pontos : 1051
Reputação : 0
Data de nascimento* : 17/06/1986
Data de inscrição : 16/03/2011
Idade : 31
Residência* Residência* : Jaraguá do Sul - SC

http://cristaoluterano.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum