Cristão Luterano
Bem-vindo Visitante!

IMPORTANTE! LEIA!

Faça seu cadastro e tenha liberdade para ler todos os tópicos do fórum Cristão Luterano. Aproveite o cadastro para conhecer e aprender.

_________________________
crscapixaba-admin
ADMINISTRADOR





Leia as CONDIÇÕES E REGRAS do Fórum:


Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Últimos assuntos
» Jeremias 1.4-10
Ter Jan 29, 2013 5:23 pm por crscapixaba-admin

» Lucas 4.14-21
Ter Jan 29, 2013 5:15 pm por crscapixaba-admin

» 1 Coríntios 12.1-11
Ter Jan 29, 2013 5:12 pm por crscapixaba-admin

» Lucas 2.15-21
Ter Jan 29, 2013 4:58 pm por crscapixaba-admin

» Lucas 3.15-17, 21-22
Ter Jan 29, 2013 4:44 pm por crscapixaba-admin

» Sofonias 3.14-20
Sex Dez 14, 2012 9:26 am por crscapixaba-admin

» 1 Tessalonicenses 3.9-13
Qua Nov 28, 2012 9:32 am por crscapixaba-admin

» Marcos 13.1-8
Ter Nov 20, 2012 10:05 am por crscapixaba-admin

» 1 Reis 17.8-16
Sex Nov 09, 2012 4:02 pm por crscapixaba-admin

Tópicos mais ativos

Quem está conectado
1 usuário online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 1 Visitante

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 16 em Sab Mar 30, 2013 10:02 am

LITURGIA PARA A SEXTA-FEIRA DA PAIXÃO

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

LITURGIA PARA A SEXTA-FEIRA DA PAIXÃO

Mensagem por crscapixaba-admin em Qui Mar 08, 2012 9:39 pm









LITURGIA PARA A SEXTA-FEIRA DA PAIXÃO


LITURGIA DE ABERTURA

Acolhida
(Saudar a comunidade brevemente; mencionar a relação desta celebração com a da noite anterior, da Quinta-feira da Paixão; fazer uma breve explicação desta celebração:
- explicar que a característica da celebração é o silêncio e a reflexão. Teremos alguns momentos de silêncio em que cada pessoa pode pensar sobre o que foi lido ou dito;
- será uma celebração marcada pela reflexão sobre o abandono que Jesus sentiu, os sofrimentos físicos e a morte violenta de cruz que sofreu;
- explicar que se lerá a história da Sexta-Feira da Paixão segundo o evangelista João. A comunidade será convidada a participar, repetindo algumas frases, como as que o povo de Jerusalém disse no julgamento de Jesus. Essas falas serão devidamente orientadas ou projetadas na parede;
- convidar a comunidade a integrar-se quando se fala o amém. O amém é comunitário e expressa que a comunidade concorda com o que se orou;
- que a celebração da Sexta-feira da Paixão, a exemplo do culto da Quinta-Feira da Paixão, também termina sem bênção e sem envio. Isso porque todas as celebrações do Tríduo Pascal formam um todo, um culto único. Assim, a bênção e o envio serão feitos na Vigília Pascal. A celebração da Sexta-feira da Paixão termina e todos retiram-se em silêncio).


Oração do dia
Convido para que, as pessoas que podem, coloquem-se de pé.
Oremos:
Deus, Todo-Poderoso. Tu enviaste teu Filho para nos reconciliar contigo. Reconhecemos que ele revelou imenso amor, quando se sujeitou a sofrer traição, abandono e morte, e morte de cruz. Pedimos-te que esta celebração nos auxilie a refletir sobre os acontecimentos da Sexta-Feira da Paixão, fatos que revelam o teu amor imensurável pela humanidade. Por Cristo Jesus, nosso Senhor, que vive e reina contigo e com o Espírito Santo, para sempre. Amém.


HINO: HPD 198

LITURGIA DA PALAVRA

Leitura de Is 52.13-53.12. (Após a leitura, uma vela do menorá é apagada).

C.: (Silêncio e oração individual).
Leitura de Os 6.1-6. (A segunda vela é apagada).

HINO: HPD 53

Leitura do Evangelho, segundo o evangelista João.

Jo 18.1-11 - Jesus no Getsêmani.

Jo 18.12-18 - Anás interroga Jesus e Pedro nega que conhece Jesus. (Apaga-se a terceira vela).

HINO: HPD 48 - 1ª estrofe

Jo 18.19-27 - Anás segue interrogando Jesus e Pedro nega Jesus. (A quarta vela é apagada).

Jo 18.28-19.16 - Pilatos interroga Jesus; iniciam-se as torturas físicas.

Jo 18.28-40a. A comunidade responde:

C.(v.40b): “Não queremos Jesus, queremos Barrabás. Solta-nos Barrabás.”

Jo 19.1-6a . Pessoas da equipe de liturgia, na hora devida, colocam sobre a mesa do altar o açoite (v. 1), a coroa de espinhos e um manto vermelho (v. 2).

C.(v.6b): “Crucifica-o, crucifica-o.”

Jo 19.6c-7a

C.( v.7b): “Temos uma lei e, conforme esta, Jesus deve morrer. Ele se fez Filho de Deus”.

Jo 19.8-12a

C.(fala v.12b): “Se soltas a este, não és amigo de César. Pois todo aquele que se faz rei é contra César”.

Jo 19.13-15a

C.(responde v.15b): “Fora! Fora! Crucifica-o!”

“Disse-lhes Pilatos: Hei de crucificar o vosso Rei? Responderam os principais sacerdotes:

C.(v.15d): “Não temos rei, senão César”.

“Então Pilatos o entregou para ser crucificado.”

C.: HPD 48 - 2ª e 3ª estrofes

Jo 19.17-27 - A crucificação de Jesus; os soldados lançam sorte sobre a roupa de Cristo.
(Apaga-se a quinta vela)

C.(canta): Ó meu Jesus, que mal tu cometeste – 4ª estrofe

Jo 19.28-37 - A morte de Jesus. (Apaga-se a sexta vela)

C.: HPD 48 – 5ª até 8ª estrofes

Jo 19.38-42 - O sepultamento de Jesus. (Apaga-se a sétima vela)

HINO: HPD 46

ORAÇÃO DE INTERCESSÃO
Irmãs e irmãos. A comunidade cristã reunida tem uma tarefa muito especial na oração de intercessão. Vamos orar agora pelas necessidades da igreja cristã e da humanidade, alvos do amor de Jesus que lhe custou a própria vida. Não queremos orar por nós mesmos, mas pelo Corpo de Cristo no mundo inteiro. Faremos uma Litania diaconal: eu apresento o motivo de oração e segue um silêncio, no qual cada pessoa eleva a Deus orações a respeito desse assunto. Após, alguém fará uma oração em voz alta, encerrando o tema. Durante a oração permaneceremos sentados. Ao final, oraremos o Pai-Nosso de pé.

Oremos pela Igreja de Cristo em todo o mundo, para que possa desenvolver-se em paz e
tranqüilidade.
C.: (Intercede em silêncio)

Eterno Deus, tu tens te revelado aos povos, e o teu Evangelho tem edificado comunidades por todo o nosso vasto mundo. Guia a tua Igreja, Senhor, a fim de que ela permaneça fiel e proclame a tua salvação em palavras e em obras de misericórdia. Por Jesus Cristo, nosso Senhor. Amém.

Oremos pelas comunidades cristãs locais e suas lideranças para que elas se mantenham firmes.
C.: (Intercede em silêncio)

Amado Senhor, tu guias tua Igreja e conduzes teu povo. Anima, fortalece e apóia as diferentes lideranças que há nas comunidades cristãs. Mantém sua saúde, sua prontidão para o serviço na seara e ajuda-as a manterem-se fiéis ao chamado de te servir. Anima e fortifica todo o movimento ecumênico que tem construído pontes entre as diferentes tradições cristãs, para que, pela unidade dos que crêem, outros cheguem a conhecer-te e reconhecer-te. Por Jesus Cristo, nosso Guia e Amigo. Amém.

Oremos pelos que serão batizados e por todos os que os acompanham no crescimento na fé.
C.: (Intercede em silêncio)

Benigno Senhor, tua Igreja continuamente recebe novos membros. Ajuda, aos que estão por entrar na família das pessoas batizadas, para que cresçam no seu batismo e na comunhão com seus irmãos e irmãs na fé. Por Jesus Cristo, nosso Irmão. Amém.

Oremos pela comunhão das pessoas batizadas em Cristo, para que superem suas limitações e suas dificuldades.
C.: (Intercede em silêncio)

Bondoso Senhor, teu Filho intercedeu por nós pedindo para que todos sejamos um. Ajuda-nos, como tua Igreja, em nossas limitações, nossos tropeços, nossa desunião. Auxilia-nos na vivência da verdadeira comunhão. Por Jesus Cristo, nosso Sumo Sacerdote. Amém.

Oremos pelos povos que não reconhecem Jesus como o Filho de Deus. Oremos pelo povo judeu, o povo que primeiro foi eleito por Deus; pelas religiões afro-brasileiras e indígenas, para que Deus olhe por todos.
C.: (Intercede em silêncio)

Eterno Deus, tu te revelas de formas inimagináveis aos povos. Abençoa a comunidade israelita, suas sinagogas, seus ofícios dedicados a ti. Fica com as pessoas que te invocam com outros nomes, acolhe suas preces. E nos ajuda no diálogo inter-religioso, e na colaboração recíproca em diferentes situações com pessoas que têm outra expressão de fé. Por Jesus Cristo, o Messias. Amém.

Oremos pelas pessoas que têm dúvidas de fé, para que sejam fortalecidas na fé em Deus.
C.: (Intercede em silêncio)

Benigno Senhor, na vez em que Tomé duvidou, tu apareceste a ele e lhe provaste que és o Filho de Deus. Acompanha as pessoas que, tal qual Tomé, vacilam na fé por algum motivo. Permanece perto em seus processos de reflexão e de dúvida. Usa-nos hoje como instrumento de tua presença junto a essas pessoas. Que nossos gestos, nossa hospitalidade, nosso ouvir e nosso empenho concreto testemunhem teu imenso amor. Por Jesus Cristo, o Bom Pastor. Amém.

D.: Oremos por aqueles que declaram não crer em Deus, para que Deus não desista deles.
C.: (Intercede em silêncio)

Compassivo e fiel Senhor, incluímos as pessoas que não crêem em ti na nossa intercessão. Muitas vezes, suas convicções têm origem em situações de vida e em reflexões difíceis de contestar. Contudo, pedimos que os acompanhes nas suas vivências, nas suas lutas, em especial quando se empenham em favor das pessoas, motivadas pelo sentimento de humanitarismo. Muitas vezes, elas são os bons-samaritanos que, com o socorro altruísta que prestam, questionam nossas premissas. Dá-lhes oportunidade de rever suas posições. Por Jesus Cristo, nosso Senhor.
Amém.

Oremos pelos que desempenham cargos públicos, pelos líderes políticos nacionais, estaduais e municipais, para que se empenhem em favor do povo.
C.: (Intercede em silêncio)

Eterno sentinela, zeloso Senhor, tu defendes a causa das pessoas pobres e das que estão oprimidas. A causa delas é a tua causa. Em tua bondade, vela sobre as pessoas que detêm posições de autoridade, a fim de que assumam responsavelmente o compromisso inerente aos seus cargos. Que se empenhem para que todas as pessoas sejam respeitadas, sejam dignificadas e para que todas cheguem a desfrutar justiça, paz e liberdade. Anima-nos a cooperarmos, exigindo tal atitude das autoridades. Por Jesus Cristo, nossa paz. Amém.

Oremos pelos povos da América Latina e por todos os que sofrem, para que tenham supridas suas necessidades.
C.: (Intercede em silêncio)

Compassivo Deus, defensor da vida e consolação dos aflitos, tem compaixão da América Latina. Tem compaixão das pessoas que sofrem violência, a violência aberta, mas também a violência velada, silenciada, doméstica. Inclina-te em favor dos enlutados, dos solitários, dos trabalhadores e das trabalhadoras que têm salários injustos, das pessoas que, por estarem desempregadas, passam necessidade e estão atribuladas. Move-nos, comove-nos, pois esta é tua causa e deve ser a causa de todos os que carregam o nome de cristão. Anima as comunidades cristãs a serem solidárias. Por Jesus Cristo, o Diácono Maior. Amém.

Recebe essas orações, Senhor, e atende nossas súplicas. Rogamos por Jesus Cristo, nosso Redentor, o qual nos ensinou a oração que juntos queremos dizer: Pai Nosso...

HINO: 50 ( coleta)

LITURGIA DA CONTEMPLAÇÃO DA CRUZ

Neste momento, vamos receber a cruz de Jesus que será trazida em procissão por pessoas da equipe de liturgia. Por três vezes, a cruz será apresentada à comunidade. E, nas três vezes, a comunidade responde, dizendo em conjunto: “Vamos contemplá-la”.

(A equipe está a postos. Ergue a cruz que está coberta por um pano preto ou vermelho. Caminha alguns passos e alguém da equipe destapa a parte superior da cruz. Então dizem pela primeira vez:)

Equipe de Liturgia: Eis aqui a cruz que dá a vida. Dela pendeu a salvação do mundo.

C.: Vamos contemplá-la.

(A equipe caminha, levando a cruz até o meio da congregação, pára e destapa o braço direito da cruz, dizendo, então, pela segunda vez:)

Equipe de liturgia: Eis aqui a cruz que dá a vida. Dela pendeu a salvação do mundo.

C.: Vamos contemplá-la.

(A equipe leva a cruz até na frente do altar e retira todo o pano. Antes de apoiá-la na mesa, de forma que fique bem visível, a equipe volta-se para a comunidade, apresentando-lhe a cruz pela terceira vez, dizendo:)

Equipe de Liturgia: Eis aqui a cruz que dá a vida. Dela pendeu a salvação do mundo.

C.: Vamos contemplá-la.

Tenhamos um tempo de silêncio e reflitamos sobre o mistério do Salvador crucificado, o mistério da salvação. Enquanto contemplamos a cruz, ouçamos os Lamentos de Nosso Senhor.
(As pessoas que quiserem podem ajoelhar-se ou mesmo sentar-se.)




LAMENTOS DO SENHOR

Que te fiz, ó povo meu? Que te fiz, meus escolhidos? Onde falhei, em que foi que te faltei?
Fiz-te sair do Egito, com maná te alimentei; dei-te uma boa terra, com fartura, leite e mel, e tu
preparaste para mim, teu rei, esta cruz, rude e cruel. Dei-te uma bela vinha, água doce, o que
precisaste, e foste amargo comigo até o fim. Dos teus perseguidores te salvei, afogando-os no
Mar, e a mim entregaste sem piedade aos inimigos. Dei-te água e o maná do céu enquanto
peregrinavas no deserto; recebi fel e vinagre, quando na cruz eu tive sede. Dei-te terra, vitórias
sobre povos inimigos; recebi açoites, bofetadas no rosto e uma coroa de espinhos. Dei-te
prosperidade, filhos, companhia; deste-me a cruz, e ali me abandonaste. Onde foi que te faltei?

(Guarde-se um tempo de silêncio para que essas palavras possam ser refletidas pelas pessoas. A seguir, a comunidade pode recitar ou ouvir um hino).

C.: HINO: HPD 54

LITURGIA DE DESPEDIDA


Convite - Vigília Pascal + Culto de Confirmação


Te adoramos, ó Cristo, e te bendizemos.

C.: Por tua santa cruz, redimiste o mundo.

HPD: 52






LEITURA DO EVANGELHO, SEGUNDO O EVANGELISTA JOÃO

Jo 18.1-11 - Jesus no Getsêmani.
Jo 18.12-18 - Anás interroga Jesus e Pedro nega que conhece Jesus. (Apaga-se a terceira vela).

HINO: HPD 48 - 1ª estrofe

Jo 18.19-27 - Anás segue interrogando Jesus e Pedro nega Jesus. (A quarta vela é apagada).
Jo 18.28-19.16 - Pilatos interroga Jesus; iniciam-se as torturas físicas.
Jo 18.28-40a. A comunidade responde:
C.(v.40b): “Não queremos Jesus, queremos Barrabás. Solta-nos Barrabás.”
Jo 19.1-6a . Pessoas da equipe de liturgia, na hora devida, colocam sobre a mesa do altar o açoite (v. 1), a coroa de espinhos e um manto vermelho (v. 2).
C.(v.6b): “Crucifica-o, crucifica-o.”
Jo 19.6c-7a
C.( v.7b): “Temos uma lei e, conforme esta, Jesus deve morrer. Ele se fez Filho de Deus”.
Jo 19.8-12a
C.(fala v.12b): “Se soltas a este, não és amigo de César. Pois todo aquele que se faz rei é contra César”.

Jo 19.13-15a
C.(responde v.15b): “Fora! Fora! Crucifica-o!”
“Disse-lhes Pilatos: Hei de crucificar o vosso Rei? Responderam os principais sacerdotes:
C.(v.15d): “Não temos rei, senão César”.
“Então Pilatos o entregou para ser crucificado.”

C.: HPD 48 - 2ª e 3ª estrofes

Jo 19.17-27 - A crucificação de Jesus; os soldados lançam sorte sobre a roupa de Cristo. (Apaga-se a quinta vela)

C.: HPD 48 – 4ª estrofe

Jo 19.28-37 - A morte de Jesus. (Apaga-se a sexta vela)

C.: HPD 48 – 5ª até 8ª estrofes

Jo 19.38-42 - O sepultamento de Jesus. (Apaga-se a sétima vela)

_________________
crscapixaba-admin
_______________________________________
Administrador do forúm cristao-lutereno
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
avatar
crscapixaba-admin
Admin

Masculino Pontos : 1051
Reputação : 0
Data de nascimento* : 17/06/1986
Data de inscrição : 16/03/2011
Idade : 31
Residência* Residência* : Jaraguá do Sul - SC

http://cristaoluterano.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum